Presença Feminina

Considerado um dos esportes mais democráticos do mundo, o hipismo é um dos poucos onde não se faz distinção de gênero durante as competições, podendo ser travadas disputas, em pé de igualdade, entre homens e mulheres. Nas Olimpíadas, o primeiro registro de uma amazona na competição foi feito em Tóquio, no ano de 1964, na modalidade Circuito Completo de Equitação (CCE). Nessa modalidade estão contidas provas de adestramento, cross-country e saltos.

mulheres no hipismo2 A equipe brasileira teve a participação de sua primeira amazona durante os jogos de Barcelona, em 1992, competindo pelo CCE individual. Nos jogos seguintes, em Atlanta, no ano de 1996, outra amazona integrou a equipe na modalidade em grupo.

mulheres no hipismo3

A pioneira nos jogos olímpicos em Tóquio foi uma norte-americana chamada Helena du Pont. Apesar de seu nome constar na equipe que ficou com a medalha de prata, seu desempenho não constou na pontuação final. Apenas duas décadas depois, as amazonas passaram a receber as primeiras medalhas por seu desempenho individual, com a conquista da norte-americana Karen Stives levando a prata e a britânica Virginia Holgate Leng com o bronze, em Los Angeles.

Olimpíadas Rio 2016

Durante os Jogos Olímpicos deste ano, o Brasil vai receber grandes nomes do hipismo mundial, com destaque para as amazonas Ingrid Klimke, bicampeã no CCE por equipes, e Sandra Auffarth, medalha de ouro em Londres 2012 e bronze no individual, ambas vindas da Alemanha. Outro destaque será a neozelandesa Jonelle Price, bronze por equipes em Londres 2012, e a norte-americana Lauren Kieffer, ouro por equipes no Pan 2015.  Vale a pena conferir o desempenho dessas incríveis amazonas!