KAPOOR x VERSALHES

O renomado artista plástico indiano Anish Kapoor é conhecido por desenvolver obras de grande magnitude, e sua exposição no Palácio de Versalhes não é diferente. Com uma coleção de peças irreverentes e polêmicas, o artista traz em suas obras questões de cunho político e até moral.

1

Nascido em Mumbai Índia, o artista plástico e escultor Anish Kapoor mudou-se para Londres, Inglaterra, por volta de 1970 para se dedicar ao estudo das artes. Graduado em duas escolas de grande reconhecimento, o artista tem em seu currículo diversos prêmios de reconhecimento internacional, como o Prêmio Duemila Prize da Bienal de Veneza e o Prêmio Turner.

A exposição que conta com uma série de seis obras, foi montada para contrapor a estética do local e instaurar o caos, segundo o próprio artista. Kapoor ainda acrescenta que ele “quis trazer à tona aspectos sombrios que contrastassem com a imagem ultracontroladora e ilusionista desse lugar histórico”.

02Descension © Anish Kapoor 2015 (Foto: Divulgação)

Kapoor desenvolveu então uma coleção de obras para trazer uma instabilidade ao espaço e provocar os visitantes. Ao entrar no Palácio de Versalhes o visitante se depara com a primeira peça da exibição, ‘C-Curve’. A peça, que consiste em um espelho côncavo, traz uma imagem do Palácio e seus jardins invertida e deformada, a obra, foi criticada por tratar do dueto realidade e ilusão frente ao que é um símbolo da monarquia francesa.

03C-Curve (2007) © Anish Kapoor

Com o aspecto de um imenso funil de aço rodeado por pedras de granito em estado bruto, ‘Dirty Corner’ traz consigo um conceito que tem causado debate entre a população francesa. A peça, que se trata de uma representação da vagina da Rainha Maria Antonieta, vem sido considerada uma afronta.

04Dirty Corner

Em concordância com as C-Curve e Dirty Corner, as outras peças que compõe a coleção seguem a mesma lógica questionadora. ‘Shooting in the Corner’, ‘Decension’, ‘Sky Mirror’ e ‘Sectional Body preparing for Monadic Singularity’ completam a exposição.

05Sky Mirror

Com peças que carregam um forte apelo visual, Kapoor justificou a necessidade das críticas e da reflexão, o artista afirmou que às vezes, para a humanidade avançar são necessários atos violentos, “assim como a arte”.

06Shooting into a Corner (2008-2009)

FONTE:

http://www.chateauversailles.fr/

http://www.theguardian.com/artanddesign/2015/jun/04/anish-kapoor-versailles-vagina-controversy-france