William Hanna apresenta o projeto Sensorial para primeira mostra de 2016

Avivar a simplicidade de cada um e resgatar lembranças da infância através de sensações. Com uma proposta singela, porém não menos cativante e poética, a primeira Mostra da Bela Arte 2016 apresenta o ambiente ‘Sensorial’, do arquiteto William Hanna.  Com um apelo estético mais aconchegante, o profissional pretende acolher todos os visitantes da loja no período que seu ambiente estiver no local.

O living com sala de jantar e um quarto com varanda, darão vida a um loft, que vai resgatar as sensações da casa da família do interior, mas não vai abrir mão da tecnologia existente nos dias atuais. William quer mostrar que o simples, pode transmitir calma e serenidade. O contraste fica por conta das cores e das texturas. A ideia é que o visitante da mostra possa fechar os olhos e partir daí, das sensações, se permita relaxar, descansar e sonhar. “A textura do piso, dos tapetes, das persianas e dos papéis de parede vai aguçar ainda mais as sensações e contrastar com o clima bucólico. Eu quero trazer aquelas lembranças de interior, do simples que transmite paz e preenche a alma, sem deixar de usar todas as tecnologias dos materiais da Bela Arte”, conta o arquiteto.

William Hanna abre a temporada 2016 da Mostra Bela Arte, para ele participar desse evento que é tão concorrido – apenas um profissional a cada seis meses tem a oportunidade de criar um projeto para o showroom da loja – é motivo de festa e felicidade. “Sempre trilhei meu caminho com calma e muito trabalho, fiquei muito lisonjeado com o convite e espero poder encantar a todos com o ambiente que estou propondo. A escolha do tema, bem como todo o projeto, desde os materiais escolhidos, móveis até aroma e música é uma tentativa de valorizar o que realmente é importante, os momentos bons que vivemos e tentar esquecer aquela busca diária da perfeição”, conta William.